×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 858

Confira o registro das Atividades da Rede realizadas em Janeiro e Fevereiro de 2017.

2017 - Informativo Janeiro e Fevereiro

Additional Info

  • Local Rede AICA
  • Data 06/03/2017

36 meninas morreram queimadas num incêndio que destruiu um abrigo destinado ao acolhimento de adolescentes. A tragédia aconteceu na Guatemala no último dia 8 de março. Além das vítimas fatais, 24 meninas ficaram gravemente feridas, algumas delas com queimaduras de terceiro grau. O incêndio teria começado numa sala de 16 metros quadrados onde 52 adolescentes haviam sido trancadas para serem controladas após uma rebelião. Segundo relato dos funcionários as próprias meninas teriam colocado fogo em colchões para denunciarem o tratamento desumano recebido na unidade.

 

Administrada pela Secretaria de Bem-Estar Social da Presidência, a instituição abriga, por ordem judicial, menores de 18 anos vítimas de violência doméstica, de algum delito ou que foram resgatados das ruas, entre outros motivos. O centro tem capacidade para 400 adolescentes, mas abriga 800. Há tempo a instituição era alvo de denúncias por maus tratos e violências sexuais contra os internos, sobretudo contra as meninas que estavam abrigadas para serem protegidas das violências sofridas em casa e na rua. Eis aqui uma enésima prova da incompetência, omissão, irresponsabilidade e crueldade com que as instituições públicas, salvo raras exceções, tratam nossas crianças e adolescentes. Tragédias como essa podem ocorrer a qualquer momento também no Brasil, onde, sobretudo nas instituições destinadas a acolher adolescentes, nos confrontamos ainda com o descaso do poder público, a falta de investimentos, o despreparo de boa parte dos funcionários, a insensibilidade da sociedade, a hipocrisia de boa parte dos meios de comunicação social e a pouca incidência dos órgãos fiscalizadores quanto à reversão desse dramático quadro. As meninas da Guatemala estavam abrigadas por determinação judicial. Haviam sido colocadas naquela unidade com a finalidade de serem protegidas. Foi para “o bem delas” que aquelas mesmas instituições que nunca prestaram ouvido ao clamor delas e foram incapazes de garantir-lhes os direitos essenciais no momento oportuno, as internaram mesmo sabendo que aquela instituição não tinha as mínimas condições de devolver àquelas meninas a alegria de viver com dignidade.

 

Será que acredita mesmo no bem-estar dos/das adolescentes quem, pelo mundo afora, inclusive no Brasil, decide interná-los em instituições dessa laia?

 

Espaços como estes só servem para carbonizar vidas, incinerar sonhos e matar a esperança. A história tem demonstrado que a internação em masmorras, esse é o nome que melhor descreve as nossas unidades socioeducativas, não recupera quase ninguém.Os poucos resultados positivos são fruto da resiliência da própria garotada. Passa o tempo e a história se repete. Muda o país, mas o descaso é o mesmo. As poucas conquistas não conseguem apagar o fogo que incinera prematuramente os sonhos dos meninos e das meninas empobrecidos violados em seus direitos. O dia 8 de março continua marcado pela violência. Em 1911, cerca de 130 operárias morreram queimadas numa fábrica têxtil de Nova York, nos Estados Unidos. Em 2017, 36 meninas morrem carbonizadas numa instituição ironicamente chamada de “Hogar Seguro”. Na porta dessa instituição e de todas aquelas que lhe são parecidas cabe bem o texto que o poeta Dante afixou na entrada do inferno: “Ó vós que entrais, abandonai toda esperança! “.

Confira o RESULTADO da Primeira Etapa do Processo Seletivo, referente ao Edital 001/2017 para contratação imediata de Educador Social, Educador de Inclusão Digital, como também de Cadastro de Reserva para Educador Social, Educador de Inclusão Digital.

Additional Info

  • Local Rede AICA
  • Data 13/03/2017

Vim ao mundo graças a uma mulher que, mesmo distante, cuida de mim até agora. Cresci com três irmãs que amo de paixão. Ao longo da minha caminhada tive a oportunidade de encontrar grandes companheiras de luta que foram decisivas para me tornar mais gente e um militante mais engajado. Na minha chegada ao Brasil foi uma mulher a me levar pela primeira vez a uma favela, a me contagiar com sua paixão pelos mais pobres e assumir a luta pela dignidade das crianças e dos adolescentes. Foram as lágrimas das muitas mulheres sofredoras que tive a oportunidade de encontrar na minha militância que regaram meu coração e fizeram brotar nele a ternura. Nas minhas crises foram as mulheres que me seguraram e me ajudaram a dar a volta por cima. Foi à sabedoria delas que entreguei meus segredos mais íntimos. Nos piores conflitos foi em mulheres que encontrei a lição de coragem que precisava para vencer minhas covardias. Foi delas que vieram a teimosia, a persistência e a ousadia com que encaro as lutas do dia-a-dia. Perseguido e ameaçado de morte, foram mulheres as pessoas que primeiramente me ampararam e garantiram minha proteção. Foi de mulheres que recebi os melhores puxões e orelhas e as broncas que me ajudaram a rever minhas posturas. Foi com mulheres que consegui realizar meus melhores projetos que ainda continuam graças a elas. Foi do coração de mulheres que saíram as melhores manifestações de amor e de carinho. Gostaria de citar o nome de todas elas, mas a lista seria longa demais. Tenho certeza que cada uma de vocês que fizeram e fazem parte da minha vida irão se reconhecer. A vocês minha gratidão não só neste dia 8 de março, mas em todos os dias da minha vida. Como escreveu David Nascimento, “certas Mulheres fazem de tudo para serem bonitas, outras Deus pede as estrelas para que desçam na terra quando elas dormem para pegar um pouco do brilho delas para iluminar o mundo". Obrigado por terem abrilhantado a minha vida com a luz da vida de vocês. Precisamos de vocês para sermos mais gente.

 

A Rede Aica informa que estará suspendendo as atividades com as crianças e adolescentes nesta sexta-feira, 3 de março, para que seus colaboradores possam realizar os procedimentos em relação à vacinação contra a Febre Amarela.

Tal medida visa promover o bem-estar de seus colaboradores diante do alto quantitativo de pessoas que estão ficando nas filas nos últimos dias e diante da quantidade de colaboradores que fazem parte da Rede.

As atividades retornam normalmente a partir do dia 06/03/2017 (segunda-feira).

Additional Info

  • Local Rede AICA
  • Data 02/03/2017
Apesar de todas as polêmicas a respeito da oportunidade de levar a imagem de Nossa senhora de Aparecida para um desfile de Carnaval, confesso que a letra do samba enredo da Vila Maria de São Paulo me comoveu. É um texto muito bonito que homenageia dignamente a nossa padroeira. É bom lembrar que a arquidiocese de São Paulo autorizou a homenagem após acompanhar cuidadosamente todas as fases da confecção das alegorias e figurinos para evitar qualquer tido de vulgaridade e desrespeito à Mãe de Deus e Nossa Mãe. Bonita também a participação de pe. Reginaldo Manzotti na abertura do samba cantando um trecho de uma famosa canção de Roberto Carlos. Espero que o desfile seja também respeitoso. Eu acredito que Nossa Senhora vai ficar feliz com essa homenagem prestada pelo povo do seu jeito. Afinal das contas fez questão de entregar sua imagem venerada ao povo brasileiro através das mãos de pobres pescadores que talvez gostassem de cantar e dançar ao ritmo do samba.  Inclusive se apresentou nos traços do povo negro que esbanja beleza, harmonia e festa cantando e dançando aos ritmos da Africa, sua terra amada de onde foi arrancado a força por escravizadores que se diziam cristãos e faziam questão de venerar Nossa Senhora. Tenho certeza que Nossa Mãe Aparecida  está feliz com essa homenagem singela, entrando no ritmo e ensaiando seus passos arrastada pela alegria a que o povo tem direito, naturalmente sem os excessos da vulgaridade. Ela fica sofrida e se sente desrespeitada quando seus filhos e suas filhas amados têm sua dignidade pisoteada e a vida arrancada prematuramente pela violência, a injustiça, a corrupção, a mentira deslavada e a cultura da morte que massacra, sobretudo o povo pobre, negro e da periferia. ESSE É O MAIOR ESCÂNDALO DO QUAL TEMOS QUE NOS ENVERGONHAR. Com Maria libertadora renovo o compromisso de desfilar com  o amado povo brasileiro até chegar o novo dia quando, ao redor da mesa do Reino, poderemos sambar o samba da Vida em plenitude.
 
(pe. Xavier Paolillo, pastoral do Menor e Carcerária da arquidiocese da Paraíba, Cedhor).
 

Para contratação imediata e cadastro de reserva.

Additional Info

  • Local Rede AICA
  • Data 20/02/2017

No dia 30 de janeiro, o Grupo de Fortalecimento dos Abrigos da Serra se reuniu com representantes da Rede do Sistema de Garantia dos Direitos – SGD do município. O objetivo do encontro era basicamente a discussão das situações decorrentes do acolhimento dos adolescentes ameaçados de morte, em sua maioria próximo ao local da ameaça, na busca de escuta das entidades e pensar novas alternativas para efetivar a proteção desses usuários. Fizeram-se presentes a Rede de Serviços, instituições de acolhimento, SEMAS, Juizado, Corregedoria, COMASSE, CONCASE e demais profissionais da área.

Additional Info

  • Local Rede AICA
  • Data 30/01
Página 7 de 10

Conheça a Rede

Agende uma Visita
Venha conhecer esta rede de Ação Solidária.
SEDE: Rede Aica - Rede de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente

Endereço: Rua João de Barro, 144 - Novo Horizonte, Serra|ES

Telefone: (27) 3338-5575

INSCREVA-SE

Cadastre seu email e receba nossos informativos

Depoimento

"Pude testemunhar o quão organizado é o Projeto Cidadão no bairro de Novo Horizonte. Sinceramente, fiquei encantado!." Vereador Roberto Catirica

Siga-nos

Top